top of page
Buscar
  • Marcello Miranda Machado Filho

Análise SWOT: saiba os pontos fortes e fracos do seu negócio


A análise SWOT, também conhecida como Matriz FOFA, é uma ferramenta de planejamento estratégico, muito usada na área empresarial. Ela é utilizada para realizar a comparação de cenários e executar análises que possam facilitar o momento de tomar decisões dentro de uma empresa na gestão de processos e de projetos.


Creditada ao americano Albert Humphrey, líder de pesquisas muito renomadas na Universidade de Stanford, na Califórnia, e datada entre os anos de 1960 e 1970, esta ferramenta surgiu a partir de um estudo guiado por Humphrey com dados referentes aos negócios de cerca de 500 grandes corporações elencadas pela revista Fortune.


Humphrey utilizou uma metodologia para o cruzamento desses dados que acabou originando o que hoje conhecemos como matriz SWOT que tanto é aplicada e difundida nas mais variadas corporações do mundo, atualmente. Ela pode ser vista como uma aliada nas estratégias de uma organização. Afinal, todas as informações relacionadas à empresa ou ao projeto são colocadas de maneira intuitiva na matriz, facilitando a organização e o dinamismo das informações.


Finalidade da matriz SWOT


A principal finalidade da matriz SWOT é analisar oportunidades e ameaças através de um diagnóstico de vantagens e desvantagens para, assim, iniciar um novo negócio. Com essa metodologia é possível listar todos os pontos importantes para o sucesso ou ruína do mesmo. A avaliação é dividida entre o ponto de vista da organização e a conduta do mercado. É fundamental destacar o quão importante é estar sempre avaliando o mercado em que a empresa está inserida.


Entendendo a matriz SWOT


Até agora você pode compreender sobre o surgimento e a finalidade da análise SWOT. Porém, ainda faltou explicar o significado da palavra SWOT, certo? Bom, o termo é uma abreviação das palavras strengths, weaknesses, opportunities e threats, que traduzidas para o português significam forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, nesta ordem mesmo.


Para a abreviação fazer sentido em português, foi preciso fazer um anagrama com as palavras traduzidas para formar o acrônimo F.O.F.A: Forças, Ameaças, Fraquezas e Oportunidades.


A Análise F.O.F.A contém informações importantes e apresenta um panorama geral delas. Formada por uma tabela de quatro quadrantes, ela traz as referências dos pontos positivos e negativos que são cruzados com as informações dos fatores internos e externos. Essa matriz apresenta de forma transparente os pontos importantes para a estratégia da organização. Nela, as forças, oportunidades, fraquezas e ameaças podem ser vistas de forma fácil, ajudando a tomar as melhores decisões.




Aplicação da ferramenta


Usar a análise SWOT é muito simples, a parte desafiadora mesmo é saber identificar perfeitamente os verdadeiros pontos fortes e fracos da indústria, assim como as oportunidades mais relevantes e as ameaças nocivas.


Ela é feita geralmente pela alta gestão da empresa, muitas vezes está associada à estratégia do negócio. Porém, está distante de ser exclusividade dos diretores ou gestores, muito pelo contrário, a matriz se torna mais detalhada e completa quando mais pessoas estão envolvidas no seu processo de construção. Dessa forma, serão utilizadas diversas visões sobre os pontos analisados.


Para iniciar a construção da análise, é preciso dividi-la em duas partes:

ambiente interno e externo.


O ambiente interno é a primeira etapa e corresponde a avaliação do espaço sugerido. Aqui serão constatados os pontos fortes e as fraquezas da empresa.


As forças podem ser indicadas como os pontos positivos e o diferencial do seu projeto, produto ou processo. As fraquezas, são o contrário, os pontos fracos e as desvantagens da organização diante do seu projeto ou produto e dele mesmo. São os pontos que interferem no desenvolvimento do negócio.


Exemplos de pontos fortes: produto com qualidade superior e/ou melhor preço, atendimento elogiado pelos clientes, equipe unida e motivada com alta produtividade, ativos importantes como máquinas e imóveis, boa localização, bons fornecedores, bons processos.


E de fraquezas: equipe mal treinada ou desmotivada, falta de organização, sistemas de gestão não atende as necessidades da indústria, ausência de controle da qualidade no processo produtivo, perdas no processo produtivo, falta de organização.


O ambiente externo é a segunda etapa, o momento de avaliar as ameaças e as oportunidades. Estas são observadas tendo como base o comportamento do mercado. Elas são determinadas através dos acontecimentos externos e não há como antever.


Já as ameaças são as situações externas que podem dificultar o desenvolvimento de um projeto. Elas também não podem ser controladas, porém, devem ser previstas o máximo de situações possíveis dispor de medidas preventivas muito bem planejadas. Desta forma, é possível minimizar os possíveis prejuízos.


O objetivo é priorizar as oportunidades disponíveis com os métodos gerais da indústria. Por exemplo: desenvolvimento de novos produtos e serviços, expansão da carteira de clientes, incentivos governamentais, mudanças no planejamento tributário, novas tecnologias, redução de barreiras comerciais internacionais, crescimento da economia, investimentos externos entre outros.


Para as ameaças, é interessante iniciar uma lista com problemas que a sua organização está enfrentando ou que pode vir a enfrentar com a concorrência. Alguns exemplos a se considerar são: novos e maiores concorrentes, perda de colaboradores, mudança de leis e tributos, falsificação dos seus produtos, mudanças na regulamentação de importação e exportação, inovações disruptivas no seu segmento de negócio, fim de incentivos governamentais.


Após o quadro com todas essas características estar em frente à equipe, é preciso correlacionar as áreas e, a partir dessa relação, traçar ideias e soluções que podem fazer sua empresa estar à frente no mercado de trabalho e inovar em alternativas para resolver as dores dos seus clientes.


É importante lembrar que esta é uma dinâmica que precisa de tempo e quanto mais descontraído for o ambiente neste momento, mais orgânico vai ficar todo o processo e os resultados podem ser ainda melhores.


Agora que você já sabe tudo sobre a análise SWOT, invista um tempo para olhar para si e para a sua empresa. Só vai te fazer crescer ainda mais. Mãos à obra e boa sorte!


443 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page